Livros Narrativas Performances

. . .

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Como trazer o universo de Joseph Beuys até as Crianças?

Aquecer e deixar transbordar.


beuys-15

Por Kiara Terra

Fui convidada a contar uma história e fazer uma oficina na exposição Joseph Beuys - A revolução somos nós para pais e filhos. Com esse convite vinha com uma pergunta: como trazer o universo de Beuys para as crianças?

Estivemos (eu e a pergunta) quietas por um bom tempo. Até o dia do encontro com Antonio d’Avossa, curador da exposição. Era uma tarde de conversa/aula, um encontro com Beuys pelos olhos dele. E havia frescor e inquietude. Os olhos do curador brilhavam. Ele falava de Beuys como um menino; se divertia e parecia encantado com as ações do artista. Essa tarde derreteu um pouco o que eu achava que sabia e revelou outra pergunta: será que as crianças alcançam as questões trazidas por Beuys?

No sábado passado, tivemos a primeira História aberta – uma narrativa colaborativa sobre Beuys. Foi ali que percebi que a profundidade poderia ser vivida em mergulhos e também na possibilidade de flutuar sobre. E que sim: as crianças alcançariam as questões trazidas por Beuys como alcançam o calor das mãos de seus pais quando atravessam uma rua movimentada.

As crianças percebem com o corpo todo. Estão prontas para estabelecer conexões. Não há o que alcançar; as perguntas de Beuys estão dentro delas, como sementes e pequenos brotos. Prontos para serem acolhidos, plantados em terra boa.

Na história pergunto: “O que é a guerra?”. “Muita gente morta”, diz a menina. “Muita gente morta é cemitério”, diz um menino. Guerra é o que vem antes de um grande cemitério, digo. “É quando os adultos não conseguem mais conversar e começam a se machucar de verdade.” “Beuys apertou o botão do avião? Disparou? Matou alguém?”, pergunta o menino. “Ah! Mesmo sem ele disparar ele estava na guerra e não devia se sentir bem com isso”, diz outra criança. Lá estava o impulso reparador, o desejo de cura e uma importante lacuna presente em Beuys, trazida assim pelas crianças.

A tarde que me remeteu à ideia de escultura social de Beuys. A colheita de ideias, o acolhimento e a delicada tarefa de oferecer um norte para a narrativa aberta que compartilhávamos. Havia frescor e inquietude pois isso é próprio das crianças e de Beuys. E houve um presente. Perguntei o que é escultura e Arthur, de 10 anos, prontamente respondeu: “É quando um pensamento ganha corpo”.


Kiara Terra é atriz e contadora de histórias. A atividade Era 1, 2, 3 vezes Beuys!, que integra a curadoria educativa da exposição Joseph Beuys - A revolução somos nós, teve a participação de 62 crianças e adultos. Ela volta a acontecer nos dias 23 de outubro e 6 de novembro, às 14h, no SESC Pompeia. Para saber mais sobre a exosição e as ações educativas, visite http://sescsp.org.br/beuys.

4 comentários:

Solange disse...

Kiara,

Estive ontem no Sesc Pompéia com minha filha Bebela de 5 anos. Foi uma surpresa encantadora ouvir sua "contação" de história... prá ela um mundo divertido e criativo, prá mim uma história adulta e profunda... Vó Palmira e seus emaranhados, neta Júlia e suas fitas coloridas... a prima exuberante, as relações, a criação...

parabéns !!!!

um trabalho lindo...

beijo enorme

Mimo Chic disse...

Querida Kiara,
que trabalho mais lindo, quanto amor e sensibilidade passa levemente com seu jeitinho magico!
Estamos encantadas e orgulhosas de encontrarmos seu blog!
Seguiremos
Esperamos retribuir o carinho com o nosso blog, e que vc entre em contato com a gente para propagarmos Kiara Terra!!
bjs
com carinho
Lulu & Sol

Historias em Movimento - Amanda Miorim disse...

Oi Kiara, esse trabalho deve ter sido lindo, não consiguiria nem imaginar o universo do Beuys dialogando com as crianças. parabéns!

Fanzine Episódio Cultural disse...

A ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG) comunica que estão abertas as inscrições para o VIII Concurso Plínio Motta de Poesias, do ano 2011.
Inscrições até 21 de outubro de 2011. Entrem em contato para adquirir o Regulamento:
a/c Carlos Roberto machadocultural@gmail.com
===================================
ESTE CONCURSO ESTÁ ABERTO A TODOS!

O VALOR DE 2 REAIS CORRESPONDE À INSCRIÇÃO PODE SER COLOCADO DENTRO DO ENVELOPE CONTENDO AS 6 CÓPIAS DO POEMA.

ABRAÇOS

CARLOS